Um novo momento para as empresas de proteína animal na B3?

Um novo momento para as empresas de proteína animal na B3?

As empresas de proteína animal na B3 passaram por diversas dificuldades nos últimos anos. Alta alavancagem, problemas políticos (Carne Fraca, Joesley Day), além de problemas sanitários que impactaram às exportações para o mercado externo.

Nas últimas duas semanas as quatro maiores empresas de proteína animal da B3,- BRF, JBS, Marfrig e Minerva – divulgaram seus balanços. Todas divulgaram fluxo de caixa livre elevado e com, exceção da Minerva, lucros no trimestre, o que é raro considerando o histórico de prejuízos das empresas do setor.

O futuro para as quatro empresas parece promissor até o final de 2020, considerando a queda do endividamento de todas e aos efeitos da peste suína chinesa, que ao que parece, devem se prolongar, aos menos, até o final do próximo ano. O maior “risco” no horizonte às empresas é a desvalorização da do dólar, considerando que a maior parte de suas receitas é oriunda de exportações. O bom momento pode resultar, inclusive, na volta de pagamento de dividendos pelas empresas, pois a possibilidade de grandes aquisições no mercado parecem reduzidas.

Abaixo uma breve análise da perspectiva de cada uma das quatro empresas:

BRF – A empresa que há poucos menos de um ano parecia necessitar, desesperadamente, de um aporte financeiro para sobreviver, considerando o alto endividamento e os efeitos da operação carne fraca, conseguiu um turnaround espetacular. No 3 trimestre de 2018 a dívida da empresa equivalia a 6,74 vezes o EBTIDA, após desinvestimentos e readequação de suas atividades, a dívida caiu para 2,9 vezes o EBTIDA no atual trimestre. A gripe suína na China beneficiou, e muito, as exportação de porcos e frangos para o país. Nesse sentido, importante mencionar a recente autorização do governo chinês para que novas plantas da BRF passem a exportar para o país. Nesse sentido, a empresa deverá decidir até qual nível quer aumentar seu nível de vendas de aves para o mercado chinês, considerando o mque os chineses preferem comprar o animal inteiro, o que tem menor valor agregado do que separar os animais por cortes, o que é mais comum em outros mercados. O recente investimento anunciado de U$ 120 mi na Arábia Saudita também vai ajudar a empresa a manter sua liderança no mercado halal na região, onde a Arábia Saudita é o principal mercado da companhia. Nos últimos tempos o país vinha criando entraves para importar produtos da unidade produtiva da empresa localizada em Abu Dhabi. A empresa também anunciou, na última semana, a possibilidade de realizar aquisições na Turquia. Por mais que seja outro mercado no qual a empresa possui boa penetração, a mesma deveria tomar cuidado com aquisições até que seu processo desalavancagem esteja finalizado. No entanto, a depender dos valores envolvidos, uma aquisição pode ser estratégica à empresa, ainda mais considerando que, ao menos momentaneamente, suas principais dívidas tiveram a data de vencimento prorrogada.

JBS – No 3 trimestre, a empresa anunciou uma geração de caixa livre de R$ 3,7 bilhões de reais, um lucro superior a300 milhões e melhora em quase todas as suas operações. Destaque para as operações da Seara que devem se beneficiar, em particular, dos efeitos da gripe suína chinesa nos próximos trimestres. As operações da JBS USA Pork, assim como as da Pilgrim Pride, devem ser particularmente beneficiadas pelo potencial acordo de comércio a ser firmado entre China e EUA. As aquisições da empresa, embora de menor porte, inclusive devido a potenciais preocupações antitruste em diversas jurisdições, foram estratégicas. As aquisições da Seberi e da Marba pela Seara aumentaram de forma interessante a participação da empresa no mercado de carne suína in natura e seus derivados. A compra da Brianza e da Tulip, na Europa, vão na mesma direção de maior geração de valor. A possibilidade de venda da participação do BNDES na empresa, diminuindo a influência do governo brasileiro, tende a ser positiva para os acionistas da empresa, assim como o potencial IPO da JBS USA. Os maiores riscos à empresa continuam sendo políticos. A mesma não só enfrente a possibilidade de novas investigações no Brasil, embora essas chances pareçam menores no atual momento, assim como nos EUA onde o Senado já investigou a empresa em algumas ocasiões.

Marfrig – No 3 trimestre, a Marfrig apresentou um lucro interessante, assim como um fluxo de caixa livre superior a R$ 800 milhões. A elevação da rentabilidade das operações nos EUA, onde a empresa é acionista majoritária da National Beef, continuou no trimestre. A empresa também é a mais bem posicionada na América do Sul para atender o mercado chinês, uma vez que possui o maior número de plantas na região habilitadas a exportar para o país. A entrada da empresa no mercado de hambúrgueres vegetais, através de parceria com a ADM, é a iniciativa mais concreta das empresas brasileiras nesse mercado. Os hambúrgueres vegetais da companhia já são comercializados no Burger King, e uma nova linha mais completa de produtos com essas propriedades deve ser anunciada até o final do ano de 2019. Por fim, nesse domingo a noite, o Brazil Journal trouxe com exclusividade a informação que a empresa adquiriu participação adicional de 30,7% da National Beef por U$ 860 milhões de dólares. Importante notar que, em 2018, a empresa adquiriu participação de 51% na empresa por U$ 960 milhões, ou seja, valuation um valuation próximo ao da compra de controle da companhia ano passado, para aquisição de participação inferior. Isso demonstra, de forma inequívoca, a valorização da empresa ao longo do último ano. No entanto, é importante notar que os vendedores poderiam exercer o direito de venda de sua participação em um período de até 5 anos após a operação, finalizada em 2018, ou seja, a escolha do atual momento para exerce-lo pode indicar um entendimento que o mercado de carne bovina dos EUA está próximo de seu topo.

Minerva – A única empresa do grupo a dar prejuízo no trimestre atribuiu o mesmo a situações extraordinárias. Considerando apenas suas operações regulares teria auferido lucro. A empresa teve uma geração de fluxo livre de caixa alto que, apesar do prejuízo, deixou o nível de alavancagem da empresa estável em 3,8 vezes seu EBTIDA, sendo a mais endividadas das empresas do setor nesse momento. No entanto, o potencial IPO da Athena Foods, empresa que agrega as operações da o grupo na América do Sul fora o Brasil, pode reduzir substancialmente as dívidas da empresa. Após a aquisição dos ativos da JBS na América do Sul, a Minerva se tornou o maior exportador da região. A diversificação dos destinos das exportações da companhia é maior do que a de seus pares. A empresa tem exportações relevantes à Africa, CEI (Rússia) e Oriente Médio. Sendo importante ressaltar que a participação relevante do Salic, ligado ao governo da Arábia Saudita, no capital da companhia tende a auxilia-la a aumentar ainda mais suas exportações para o Oriente Médio no futuro. A recente parceria com empresários chineses também é interessante, uma vez que tende possibilitar a empresa um aumento da rentabilidade de suas exportações para o país.

Deixe uma resposta

Fechar Menu